22 maio, 2006

||| Camões em caboverdeano (e W.H. Auden). Tradução de José Luís Tavares.

Ta muda tenpu, ta muda vontadi,
Ta muda ser, ta muda konfiansa;
Tudu mundu é fetu di mudansa,
Ta toma senpri nobus kolidadi.

Sen nunka pára nu ta odja nobidadi,
Diferenti na tudu di speransa;
Máguas di mal ta fika na lenbransa,
Y di ben, si izisti algun, ta fika sodadi.

Tenpu ta kubri txon di berdi manta,
Ki di nebi friu dja steve kubertu,
Y, na mi, ta bira txoru u-ki n kantaba

Ku dosura. Y, trandu es muda sen konta,
Otu mudansa ta kontise ku más spantu,
Ki dja ka ta mudadu sima kustumaba.


Para outra homenagem ao José Luís, ver esta tradução de W.H. Auden, do inglês para caboverdeano, «O Tell me the Truth About Love.» E, naturalmente, um poema do próprio autor, de Agreste Matéria Mundo.

2 Comments:

Blogger Ieda said...

Francisco, só pra saber se você recebeu meu email (é o Alexandre aqui). Está em São Paulo? Abraço.

7:03 da tarde  
Blogger nils said...

Bonito de ler, melhor foi ouvir o autor lê-lo no seu programa. Cumprimentos

12:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home