01 março, 2006

||| Vergílio Ferreira.














Morreu a 1 de Março de 1996. Fazem-nos falta os seus romances, as suas polémicas, o seu olhar, o seu desassombro. Faz-me falta.

8 Comments:

Blogger Carlos Azevedo said...

E é dele um dos grandes livros que li: "Para Sempre".

2:50 da tarde  
Blogger João José da Silva Folgado said...

A mim também.

7:32 da tarde  
Blogger M em Campanhã said...

ontem mesmo, julguei reencontrá-lo, a folhear o romance do Jorge Reis-Sá. fechei logo o livro - assombrada como quem viu um fantasma - mas hei-de lá voltar para verificar.

9:52 da tarde  
Blogger Nuno Barata said...

Morreu no dia em que fiz 30 anos.
Nunca esquecerei algumas passagens da sua Prosa.

2:24 da manhã  
Blogger Marco Mendes Velho said...

A 1 de Março de 1926 morreu em Macau também Camilo Pessanha, poeta que Francisco José Viegas, já deu para entender, considera menor ou marginal, arredado que sempre viveu do intróito da lusofonia do círculo atlântico de que FJV tanto se orgulha. Durante muito tempo Pessanha foi uma lacuna gigantesca no que concerne à coluna de ligações que apresenta no "Livro Aberto". Compreende-se: Macau, porventura o recanto mais paradigmático da lusofonia, sempre foi longe de mais. Percebo que não pudesse escrever que lhe fazem falta as polémicas de alguém que nunca conheceu. Ainda assim, a sentença tende a persistir. Apesar de ser ainda a fonte das remessas da Fundação Oriente, Macau parece não continuar a existir para os portugueses. É Portugal quem perde.

3:15 da manhã  
Blogger consoantes said...

Como esquecer "Alegria Breve"? E, num registo bem diferente, "A palavra mágica"?! Inoque será você...

12:59 da tarde  
Blogger Repórter Global said...

Tambem fazem falta os que cá estão e os que estão a chegar!

5:18 da tarde  
Blogger katraponga said...

Dez anos, já?

9:19 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home