14 janeiro, 2006

||| Bem me parecia.
E logo a PT, que é tão avara em detalhes nas facturações. Assim fica explicada a turbulência. Tenha o leitor cuidado com os seus extractos mensais de conversas telefónicas, e não os guarde em envelopes.

Repare-se, no entanto, nesta notícia, na existência de frases como «nunca será possível demonstrar» e «não existe qualquer registo».

Outra nota: no seu editorial de hoje no DN, António José Teixeira interroga-se: quem defende o Estado do seu procurador-geral? Ora, creio que há outra pergunta, e melhor, a fazer: quem defende os cidadãos?

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Uma justificação da PT que faria rir, se não fosse séria para reflectir. Há uns tempos achava que vivia num país de faz-de-conta. Agora tenho a certeza.

8:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home