27 setembro, 2005

||| Fazer sangue.
O candidato Mário Soares acha que fazer-lhe perguntas a que não quer responder é fazer o jogo deles. Deles, dos jornalistas, que só gostam de sangue. E por que querem eles sangue? Por nada de especial. Porque fazem perguntas. Ora, o que devem fazer os jornalistas nestas circunstâncias, segundo Mário Soares? Não fazer sangue. Podem fazer sangue em muitas outras circunstâncias, «cumprindo o seu dever cívico», mas não podem -- por exemplo -- interrogar Soares sobre o paralelismo entre Zenha e Alegre. Isso, que me parece uma pergunta muito pertinente (dado que é bom conhecermos o carácter de um candidato a Belém), é fazer sangue.

3 Comments:

Blogger PR said...

A velha parábola do velhinho... coitadinho do velhinho... vá, deixem-no em paz.ide brincar, jovens.

7:16 da tarde  
Blogger Cristina said...

e dá para os dois lados...

saudações

9:28 da tarde  
Blogger Carlos said...

Não corcordando integralmente, considero pertinente o seu artigo na edição de hoje do JN.

4:02 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home